sábado, 30 de março de 2013

Sábado Santo



Evangelho: Lc 24,1-12

No primeiro dia da semana, bem de madrugada, as mulheres foram ao túmulo, levando os perfumes que tinham preparado. Encontraram a pedra do túmulo removida, mas, ao entrarem, não encontraram o corpo do Senhor Jesus e ficaram sem saber o que estava acontecendo. Nisso, dois homens com vestes resplandecentes pararam perto delas. Tomadas de medo, elas olhavam para o chão. Eles, porém, disseram-lhes: “Por que procurais entre os mortos aquele que está vivo? Não está aqui. Ressuscitou! Lembrai-vos do que ele vos falou, quando ainda estava na Galileia: ‘É necessário o Filho do Homem ser entregue nas mãos dos pecadores, ser crucificado e, no terceiro dia, ressuscitar’”. Então as mulheres se lembraram das palavras de Jesus. Voltando do túmulo, anunciaram tudo isso aos Onze e a todos os outros. Eram Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago. Também as outras mulheres que estavam com elas contaram essas coisas aos apóstolos, mas estes acharam tudo isso um delírio e não acreditaram. Pedro, no entanto, levantou-se e correu ao túmulo. Olhou para dentro e viu apenas os lençóis. Então voltou para casa, admirado com o que havia acontecido.

Reflexão
Cristo Ressuscitado
Matriz de São José
Paraisópolis (MG)
O Evangelho desta noite narra a ida das mulheres ao túmulo. No início elas se espantam com a pedra removida, depois se alegram com a notícia do anjo: “Ressuscitou!” Nós devemos transformar nossas inseguranças, as tristezas e medos na alegria da vida nova da ressurreição.
As mulheres se tornaram anunciadoras da grande alegria. Porém, encontraram corações endurecidos, que racionalizaram demais. Pedro teve atitude, levantou-se e foi até o sepulcro, mas voltou apenas admirado. Hoje podemos apenas sair da Igreja apenas admirados com o rito, e não crentes no ressuscitado. A ressurreição é um convite à fé, e esta é uma resposta de cada pessoa.
Pelo Batismo nós participamos da Páscoa do Cristo. Ao reviver o nosso Batismo, façamos a experiência da passagem: das trevas para a luz, da fome para a abundância do alimento, da morte para a vida. A Páscoa deve afetar a nossa existência em seu âmago.
                                                                                                              Pe. Roberto Nentwig
                                                                              Fonte: http://catequeseebiblia.blogspot.com.br    
                                            Ilustrações: www.news.va               www.santoalbertomagno.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário